Arquivos da categoria: Paulinho Moska

Onde Você Passou a Noite

de “Locura Total”, de Fito Paez & Moska
2015_FitoPaezMoska_Locura_Total

Baby, me beije
E não me deixe
Eu não quero te perder
Eu sinto medo
Do seu segredo
Não precisa nem dizer
Onde você passou a noite
Nem com quem nem o local
Onde você passou a noite?
Eu também já fiz igual…

Baby, me abrace
Que tudo passe
Eu não posso dispensar
O seu cuidado
Você ao meu lado
E eu não quero nem pensar
Onde você passou a noite
Nem com quem nem o local
Onde você passou a noite?
Eu também já fiz igual…

E o que me sobra é o sabor de mel e fel
E de saber que o seu amor ainda é meu
Dormir nos braços de quem me foi infiel
E perceber que o meu amor ainda é seu

Mais Que Tudo Que Existe

de “Locura Total”, de Fito Paez & Moska
2015_FitoPaezMoska_Locura_Total

De tudo que se vê e que se toca
Nada me toca tanto como tu
Da flor da pele até o céu da boca
Do sul ao norte do teu corpo nu

E eu te vejo e devoro, viajo e demoro
Nas formas e no conteúdo
E te adoro, e te adoro, e te adoro
Mais que tudo que existe, que tudo, que tudo

Transando assim contigo é que eu transcendo
É quando eu vou além do que sou eu
Trançando no teu corpo num crescendo
Sinto meu eu continuar no teu

E eu adentro teu centro, que eu vero venero
Me prendo e dali não desgrudo
E te quero, e te quero, e te quero
Mais que tudo que existe, que tudo, que tudo

Além da tua voz e o do teu gozo
Só tem um som que tanto bem me faz
O do teu nome que é tão luminoso
E é a palavra que me agrada mais

E eu murmuro esse nome, e te chamo, e te chamo
Com o corpo tomado, tesudo
E te amo, e te amo, e te amo (e te amo)
Mais que tudo que existe, que tudo, que tudo

Somente Nela

Estar apaixonado é uma coisa louca,
Que alguém lhe causa e você mal dorme.
Se perto desse alguém a eternidade é pouca,
Distante, cada instante é um tempo enorme.

Estar apaixonado é mesmo uma doença,
Que alguém lhe passa e aí você mal come.
Tão-só nessa pessoa você pensa,
Enquanto a outra fome o consome.

´Tava tremendo, com febre e com frio,
A estremecer de amor por causa dela.
Corria a minha espinha um arrepio,
E eu nem pensava em mim, somente nela.

Eu ria e chorava um rio;
Nunca uma dor foi tão bela.
Por dias, noites e horas a fio
Eu nem pensava em mim, somente nela.

Estar apaixonado é parecer um ser ridículo
E não estar com isso nem aí.
Você se sente livre e solto mesmo num cubículo,
Tal como eu me sentia então ali.

Nara, Nara, Nara


de “Por que Nós”, de Camilo Frade


de “Cores de Acolá”, de Tito Lys

Eu não imaginara, Nara, Nara,
Que eu me apaixonara, Nara, Nara, Nara, por você;
Como eu jamais imaginara, Nara,
Meu coração dispara, pára, pára, pára por você.

Nara, o tempo não espera por nós dois,
E o tempo da paixão é já, jamais depois.

Eu já me condenara, Nara, Nara,
Quando eu me vi, de cara, cara a cara, cara, com você;
Aí então já me danara, Nara,
Como eu jamais imaginara, Nara, Nara, com você…

Nara, o tempo não espera por nós dois,
E o tempo da paixão é já, jamais depois.

Eu não imaginara, Nara, Nara:
O amor me revolucionara, Nara, Nara, por você.
Também me aprisionara, Nara, Nara,
E não me libertara a tara, a tara, a tara por você.

Nara, o tempo não espera por nós dois,
E o tempo da paixão é já, não é jamais depois.