Arquivos da categoria: Zélia Duncan

Mais Além do Arco-Íris (Over the Rainbow)


de “Nego”, de Carlos Rennó

2009_NEGO_Cancoes_americanas_em_versoes_brasileiras_1024

Quando este mundo é uma triste zorra,
E uma chuva jorra,
Lá do além
Do céu uma saída vem.

Quando no céu há só nuvem negra,
Um arco-íris chega
Pra ligar
A janela do teu lar
A um lugar depois do Sol,
Um degrau além da chuva…

Tem, além do arco-íris,
Um lugar,
Do qual num acalanto
Eu já ouvi falar.

Lá, além do arco-íris,
No azul, lá,
O teu sonho mais louco
Se realizará.

A uma estrela eu pedirei,
E lá em cima acordarei
Um dia;
Problema vira picolé
Por sobre a antena, a chaminé
E a nuvem fria.

Mais além do arco-íris,
No alto-céu,
Voam pássaros raros –
Por que não posso eu?

Se pássaros avoam no alto-céu,
Então por que não posso eu?

______________________________________________

When all the world is a hopeless jumble,
And the raindrops tumble
All around,
Heaven opens a magic lane.

When all the clouds darken up the skyway,
There´s a rainbow highway
To be found,
Leading from your window pane
To a place behind the sun,
Just a step beyond the rain…

Somewhere over the rainbow,
Way up high,
There´s a land that I´ve heard of
Once in a lullaby.

Somewhere over the rainbow,
Skies are blue,
And the dreams that you dare to dream
Really do come true.

Some day I´ll wish upon a star,
And wake up where the clouds are far
Behind me;
Where troubles melt like lemon drops,
Away above the chimney tops,
That´s where you´ll find me.

Somewhere over the rainbow,
Bluebirds fly,
Birds fly over the rainbow –
Why then, oh why can´t I?

If happy little bluebirds fly
Beyond the rainbow, why, oh why can´t I?

Música de Harold Arlen e letra de E.Y. Harburg, 1939

Eu Só Me Ligo Em Você (I Get a Kick Out of You)


de “Cole Porter & George Gershwin – Canções Versões”, de Carlos Rennó

2010_Carlos_Renno_Cole_Porter_George_Gerschwin_10242000_Carlos_Renno_Cole_Porter_George_Gerschwin_1024

Meu caso é tão triste, e é quase fatal
Que tudo me cause só um descaso total.
E se pra gandaia eu saio então,
Contra o tédio lutando em vão,
Eu não perco meu ar blasé,
A não ser ao virar e ver,
Tão bela, você…

Champagne me deixa normal;
Barato, nem com birita, meu bem.
Então só me diga por que
É que eu só me ligo em você.

Alguns se ligam num sal.
Que porre, oh, eu não posso com pó;
Coca só me provoca deprê.
É que eu só me ligo em você.

Me ligo, sim,
Quando a vejo em minha frente a qualquer hora.
Me ligo, sim;
Mesmo assim você – é óbvio que – não me adora.

Nenhum barato é total.
Saltar ao léu de asa-delta no céu
É o que eu nunca penso em fazer.
É que eu só me ligo em você.

____________________________________________________

My story is much too sad to be told,
But practically ev’rything leaves me totally cold.
The only exception I know is the case
When I’m out on a quiet spree,
Fighting vainly the old ennui,
And I suddenly turn and see
Your fabulous face.

I get no kick from champagne.
Mere alcohol doesn’t thrill me at all,
So tell me why should it be true
That I get a kick ut of you?

Some get a kick from cocaine.
I’m sure that if I took even one sniff
That would bore me terrific’ly too.
Yet I get a kick out of you.

I get a kick ev’ry time I see
You’re standing there before me.
I get a kick, though it’s clear to me
You obviously don’t adore me.

I get no kick in a plane.
Flying too high with some guy in the sky
Is my idea of nothing to do,
Yet I get a kick out of you.

Música e letra de Cole Porter, 1934